Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011
Foi sol de pouca dura

A entrevista de Vítor Gaspar à SIC - conduzida de forma brilhante por José Gomes Ferreira – marcou o inicio da queda deste Governo. Numa altura em que se exigem sacrifícios brutais aos portugueses, é necessário que o Ministro das Finanças apresente um discurso claro, esclarecido e simultaneamente encorajador. Vítor Gaspar transmite tudo menos coragem e esperança. As suas intervenções são monótonas, enfadonhas e pouco claras para a maioria dos Portugueses – pelo menos para aqueles que não viveram nos últimos anos "encafuados" nos gabinetes de estudos económicos do BdP e CE. Chegam mesmo a assemelhar-se a sessões baratas de hipnotismo para ajudar a deixar de fumar... Quando VG termina uma frase já toda a gente se esqueceu do que tinha dito no inicio da mesma – um pesadelo para os jornalistas que acompanham as conferencias de imprensa.

 

A verdadeira vocação deste ministro ficou bem patente na sua intervenção na Universidade de Verão do PSD: ensinar.

 

Mas como explicar que um prestigiado académico que publicou dezenas de artigos, reflexões, estudos etc... sobre como cortar na despesa publica e equilibrar o défice, ao chegar ao governo apenas consiga aplicar a velha formula do aumento de impostos? A resposta é simples: o papel e os quadros de ardósia aceitam tudo o que neles se escreve.

 

O que é feito das anunciadas reduções na despesa? O próprio Documento de Estratégia Orçamental (não passa de um ataque à anterior governação socialista) não concretiza nada em termos de cortes às “gorduras” do Estado. Este executivo revela não ter nenhum interesse em enfrentar os lobbies, os grupos de pressão, os caciques das distritais, os boys instalados nas suas cadeiras douradas... Por outro lado, não hesita em destruir – ao invés de restruturar ou racionalizar – o estado social, uma das grandes conquistas europeias!

 

A subserviência e bajulação de PPC à Sra.. Merkel, alinhando-se contra os Eurobonds – única hipótese plausível para evitar a desintegração do Euro – é ridícula e seria mesmo motivo de chacota não fosse estar em risco a sobrevivência de Portugal e da Zona Euro.

 

Este Governo tem os dias contados! Bastaram as criticas de Ferreira Leite, Marques Mendes e João Almeida para instalar o caos na coligação. Isto sem sequer haver uma oposição credível por parte do PS! Imagine-se quando a contestação social sair à rua. Quando os poderosos sindicatos arregimentados pelo PCP paralisarem o país de Norte a Sul.

 

Veremos se a minha premonição se confirma! Eu não tenho duvidas! Este Governo está a prazo!

 

P.S: Como não tenho Facebook não posso seguir os comentários e opiniões do nosso estimado PR.



publicado por HGjr às 10:41
link do post | partilhar

De Salvador a 8 de Setembro de 2011 às 12:01
É extraordinário vermos os queridos seguidores do ex-"querido lider" do querido partido Socialista tão ansiosos pelo corte da despesa. Este governo tem apenas 2 meses e os queridos seguidores já querem ver e exigir aquilo que não exigiram em 6 anos a Sócrates, ou melhor, que não exigiram em 13 anos ao partido socialista. Lugares de boys, criação de fundações, institutos, tudo serviu durante anos de governação socialista para esbanjar literalmente o dinheiro com que contribuimos mensalmente. E agora o problema é deste governo que não quer enfrentar lobbies. LOL. Extraordinário mesmo! Se não conhecessemos as personagens que agora falam assim estávamos preocupados. Concluimos que a esquerda só se preocupa com o corte da despesa quando está no poder o centro direita. Antes, nos anos "brilhantes" do Guterrismo (7) e do Socratismo (6) nunca se indignaram. Porque será? Ninguém se questiona?


De HGjr a 8 de Setembro de 2011 às 12:22
Caro Salvador,

Em primeiro lugar dizer-lhe que nunca escondi (ao contrário de muitos cujas convicçoes dependem das conveniencias de ocasiao), que sou um admirador de José Sócrates, que considero ter sido um grande PM.

Segundo, importa referir que não existe nenhuma obsessão com os cortes na despesa. O que parece estranho é que durante a governação socialista o centro direita exigia os ditos cortes, chegando mesmo a propor medidas (veja o pacote do PP de há bem pouco tempo). Uma vez no governo, esse cortes não saem da gaveta (porque nao existem) o que revela que o PSD/CDS não tinha a "lição" minimamente estudada! É muito fácil fazer oposição em Portugal...

Terceiro, é no mínimo caricato falar dos boys socialistas quando em apenas 2 meses este executivo já partidarizou a CGD (vergonha), a Empordef (entre outras) e comprou o silencio de vozes potencialmente incomodas tais como João Duque (com a comissão RTP; vergonha!), Santana Lopes (na SCM de Lisboa; LOOOOOL), Mário Crespo (ia para D.C.) e inclusive o Prof. Marcelo (agradecido pela inclusao do irmao na administraçao da CGD ).

Entretanto, o "brilhante" Vitor Gaspar e o Álvaro vao fazendo os possiveis para destruir a economia nacional, saqueando os contribuintes (o que acabara por originar uma economia paralela e consequente diminuiçao da receita fiscal) e vendendo ao desbarato as poucas jóias da coroa a interesses estrangeiros (de preferencia alemaes)...

Sim, estou indignado com esta governação que torna Portugal num "field lab" de experimentalismo ideológico ultra liberal!


De Salvador a 14 de Setembro de 2011 às 08:37
Para o caso de não considerar isto corte na despesa, chama a isto o quê?
. Governo encerra Sociedade Parque Expo (nota: um cancro criado no auge do socialismo guterrista que nos suga os impostos)
. Governo acaba com cargos de directores adjuntos da Segurança social (nota: aqui havia espaço para nomear uma centena de boys, o governo preferiu acabar)
. Governo acaba com DRE's (nota: mais uns organismos por acaso criados no governo Cavaco, mas que serviram bem para o PS manter e dar lugares aos seus boys)
. Governo quer acabar com Direcções Regionais de Economia (nota: ver próximo OE onde irão constar o fim destas coisas que se inventaram para criar emprego)
. Governo vai extinguir 7 organismos (institutos, direcções) dos 22 existentes no Ministério da Saúde
. Governo extingue empresa "Frente Tejo". (nota:Mais outra obra socialista, que consegue a proeza de ter vários administradores e um empregado).

Isto são apenas alguns exemplos do que foi feito em pouco mais 2 meses de governo, isto depois de 6 anos de Sócrates, que se queria ser diferente, teve 4 anos de maioria absoluta (condições ideais para executar certas politicas) e fez tudo ao contrário. Criou e distribuiu lugares "esquecendo" que isso iria aumentar a despesa do estado.

Em breve, vou poder apresentar-lhe aqui um programa estruturado do fim de muitos mais organismos que nos sugam o nosso dinheiro.

É lamentável que os seguidores de Sócrates e do Partido Socialista queiram que tude continue na mesma, quando se percebeu que com as políticas de despesismo, Sócrates e o PS conseguiram a proeza de colocar Portugal na bancarrota e nas mãos de organismos internacionais que agoram ditam regras no nosso País. Lamentável.


De HGjr a 14 de Setembro de 2011 às 14:09
1. O Governo apenas anunciou a intenção de extinguir a Parque Expo e a Frente Tejo. NADA disse sobre os moldes, os timings e a herança do passivo de ambas as sociedades (óbvio que será assumido pelo Estado pelo que há que esperar por mais esse anúncio). Estou em crer que será mais um negócio estilo BPN .

2. O Governo anuncia a extinção das DREs , de 7 organismos na saúde, das DGE e dos directores adjuntos da S.S. Bravo! Pena nenhum destes cortes ter impacto significativo na despesa do Estado (o valor simbólico é muito maior que o real impacto) nem fazer parte de um pacote completo de medidas de redução do despesismo da administração publica. Estes cortes são apenas medidas "a la mode " de cada Ministro.

3. Por falar em "boys" socialistas, quer comentar a dimensão e as contratações para os gabinetes do Ministério da Economia e do dos Negócios Estrangeiros?

4. Não acha que os gastos com a nova gestão absurda da CGD superam os de muitas DREs ?

5. Este Governo não distribui lugares? Quais são as habilitações de Santana Lopes para chefiar a SML ?

6. O PS colocou o país nas mãos de entidades internacionais? Que eu saiba o auxilio foi pedido apenas após o PSD ter chumbado o PECIV que por sua vez foi discutido e aceite pelas instituiçoes europeias (e incluía um acordo de concertação social). Lembra-se das justificações de PPC para chumbar o PEC IV??

Lamentável!

P.S: Fico ansiosamente à espera do programa "estruturado" que refere. Espero que não se importe que o faça sentado!

Cumprimentos,

HGjr


De Salvador a 15 de Setembro de 2011 às 00:44
De facto, para quem crê na história da carochinha do "chumbo PEC IV" está tudo dito. Chumbo do PEC IV é que levou ao pedido de auxilio???? Não caro HGjr, o que levou ao pedido de ajuda, e qualquer pessoa qom honestidade intelectual sabe-o, foi não termos nem mais um tostão para fazer face às obrigações (ordenados, pensões, pagamento de juros) . O dinheiro dos contribuintes foi desbaratado por um governo que entrou numa espiral de despesismo sem olhar as consequências. Se calhar não sabe o que é não ´ter dinheiro, mas Sócrates conseguiu a proeza de deixar os cofres vazios. VAZIOS, entende? Salários da policia em atraso, salários da GNR em atraso, salários na defesa em atraso. Tudo isso foi dito, só um povinho muito estúpido e de mentecaptos (como Sócrates achava que nos podia tratar) engolia a história do PECIV.

Agora queria responder-lhe à sua pergunta: quais as habilitações de Santana Lopes para dirigir a SCML? Talvez bastante mais habilitações que o "engº" Sócrates para ser primeiro ministro de um País que não é propriamente do 3º Mundo, mas que ele tratou como tal.

E já agora pode começar escusa de continuar sentado, pois o programa que lhe falei começa agora a ser apresentado, tal como prometido por PPC, até final de Setrembro será devidamente detalhado.

"Governo extingue 162 entidades da administração central" ...uma redução de cerca de 27% dos lugares dirigentes da administração pública", o que corresponde a "cerca de 1712 lugares dirigentes a menos". Expresso Online.
Nota: lá se vão 1172 lugares de boys, certamente e maioritariamente socialistas amigalhaços do governo Sócrates-

Por fim, continuo a achar admirável o quão ansiosos estão os socialistas pelo corte na despesa, que agora até já usam a expressão "acabar com o despesismo do estado", quando nunca repreenderam os governos Guterres + Sócrates por esse facto. Só posso compreender esta ansiedade. É porque muitos lugares e muita "mama" vai acabar.

Ao fim de menos de 100 dias de governo aí está aquilo que PPC prometeu na campanha.

O que não suportam os socialistas é verem PPC ser reconhecido proque está a cumprir aquilo que disse, não suportam que o povo esteja pacificamente a aceitar os sacrificios porque sabem que certamente a despesa do estado vai ser cortada, não suportam que um governo e um primeiro ministro seja finalmente respeitado, coisa que Sócrates nunca conseguiu.







Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres