Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011
Foi sol de pouca dura

A entrevista de Vítor Gaspar à SIC - conduzida de forma brilhante por José Gomes Ferreira – marcou o inicio da queda deste Governo. Numa altura em que se exigem sacrifícios brutais aos portugueses, é necessário que o Ministro das Finanças apresente um discurso claro, esclarecido e simultaneamente encorajador. Vítor Gaspar transmite tudo menos coragem e esperança. As suas intervenções são monótonas, enfadonhas e pouco claras para a maioria dos Portugueses – pelo menos para aqueles que não viveram nos últimos anos "encafuados" nos gabinetes de estudos económicos do BdP e CE. Chegam mesmo a assemelhar-se a sessões baratas de hipnotismo para ajudar a deixar de fumar... Quando VG termina uma frase já toda a gente se esqueceu do que tinha dito no inicio da mesma – um pesadelo para os jornalistas que acompanham as conferencias de imprensa.

 

A verdadeira vocação deste ministro ficou bem patente na sua intervenção na Universidade de Verão do PSD: ensinar.

 

Mas como explicar que um prestigiado académico que publicou dezenas de artigos, reflexões, estudos etc... sobre como cortar na despesa publica e equilibrar o défice, ao chegar ao governo apenas consiga aplicar a velha formula do aumento de impostos? A resposta é simples: o papel e os quadros de ardósia aceitam tudo o que neles se escreve.

 

O que é feito das anunciadas reduções na despesa? O próprio Documento de Estratégia Orçamental (não passa de um ataque à anterior governação socialista) não concretiza nada em termos de cortes às “gorduras” do Estado. Este executivo revela não ter nenhum interesse em enfrentar os lobbies, os grupos de pressão, os caciques das distritais, os boys instalados nas suas cadeiras douradas... Por outro lado, não hesita em destruir – ao invés de restruturar ou racionalizar – o estado social, uma das grandes conquistas europeias!

 

A subserviência e bajulação de PPC à Sra.. Merkel, alinhando-se contra os Eurobonds – única hipótese plausível para evitar a desintegração do Euro – é ridícula e seria mesmo motivo de chacota não fosse estar em risco a sobrevivência de Portugal e da Zona Euro.

 

Este Governo tem os dias contados! Bastaram as criticas de Ferreira Leite, Marques Mendes e João Almeida para instalar o caos na coligação. Isto sem sequer haver uma oposição credível por parte do PS! Imagine-se quando a contestação social sair à rua. Quando os poderosos sindicatos arregimentados pelo PCP paralisarem o país de Norte a Sul.

 

Veremos se a minha premonição se confirma! Eu não tenho duvidas! Este Governo está a prazo!

 

P.S: Como não tenho Facebook não posso seguir os comentários e opiniões do nosso estimado PR.



publicado por HGjr às 10:41
link do post | partilhar

De Salvador a 8 de Setembro de 2011 às 12:01
É extraordinário vermos os queridos seguidores do ex-"querido lider" do querido partido Socialista tão ansiosos pelo corte da despesa. Este governo tem apenas 2 meses e os queridos seguidores já querem ver e exigir aquilo que não exigiram em 6 anos a Sócrates, ou melhor, que não exigiram em 13 anos ao partido socialista. Lugares de boys, criação de fundações, institutos, tudo serviu durante anos de governação socialista para esbanjar literalmente o dinheiro com que contribuimos mensalmente. E agora o problema é deste governo que não quer enfrentar lobbies. LOL. Extraordinário mesmo! Se não conhecessemos as personagens que agora falam assim estávamos preocupados. Concluimos que a esquerda só se preocupa com o corte da despesa quando está no poder o centro direita. Antes, nos anos "brilhantes" do Guterrismo (7) e do Socratismo (6) nunca se indignaram. Porque será? Ninguém se questiona?


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres