Segunda-feira, 25 de Abril de 2011
Consensos

A campanha eleitoral para as eleições de 5 de Junho será inevitavelmente condicionada pelo pacote de medidas imposto pela Troika. Sendo assim, o próximo governo terá pouca margem de manobra uma vez que o guião governativo está neste momento a ser preparado pelos enviados do BCE/CE/FMI. Contudo, os dois principais partidos têm como obrigação para com o país chegarem a um entendimento pré-eleitoral de forma a incluir no pacote de ajuda medidas e reformas estruturais que promovam o crescimento económico de forma a evitar a entrada numa espiral negativa de austeridade e recessão à semelhança do que se passa com a Grécia.

Não pode haver crescimento económico sem investimento, logo sem despesa. Neste sentido, os dois grandes partidos deveriam por de parte as quezílias e conflitos pessoais e ideológicos - que vêm enchendo os jornais e proporcionando tema de conversa para inúmeros espaços de comentário político (curiosamente o único sector imune à crise) - e desenvolver em conjunto um programa de crescimento de longo prazo, credível e ambicioso. Este é o momento exacto para encarar de frente reformas profundas em sectores chave como a justiça, educação, saúde, defesa ou administração publica que têm mantido o status quo graças ao corporativismo guerrilheiro ou ao lobying.

PS e PSD, consenso possível ou meramente utópico...?

Feel free to discuss!!

 

P.S: Medidas concretas para uma reforma de fundo num post a publicar brevemente



publicado por HGjr às 16:04
link do post | comentar | partilhar