Sexta-feira, 29 de Julho de 2011
No reino da promiscuidade

Jorge Silva Carvalho, ex-director do SIED, personaliza o parasitismo que infelizmente predomina na Administração Publica. Ao passar informações confidenciais à Ongoing não só quebrou os mais elementares princípios éticos como violou o voto de confiança nele depositado por quem o nomeou. A forma atabalhoada com que contestou a noticia divulgada pelo Expresso revela que além de desonesto era também um péssima escolha para chefiar um órgão de tamanha importância. Mais, ao demitir-se dias antes de uma cimeira de enorme importância para Portugal, desacreditou o serviço que chefiava e em quem os Portugueses confiam a defesa dos interesses nacionais. Ao que parece o motivo para a sua demissão não era o corte nos fundos para o SIED, que alegadamente comprometeriam a sua eficiência, mas sim o excesso de zeros no cheque que lhe foi passado pelos responsáveis da Ongoing.

Se as instancias competentes provarem que houve efectivamente quebra do sigilo profissional por parte de Silva Carvalho, o mesmo deverá ser exemplarmente punido

 

É perfeitamente normal e aceitável que uma empresa procure recolher informações sobre indivíduos/entidades com quem mantem relações comerciais de forma a mitigar o risco de possíveis “surpresas desagradaveis”. Por ser normal e aceitável, há inúmeras empresas e detectives privados que dentro da legalidade executam esse tipo de serviços...

 

A nomeação da nova administração da CGD, não fosse um assunto triste para o país e desprestigiante para o Governo, concorreria com o caso Silva Carvalho “007” ao pódio do anedotário nacional. Mais uma vez o Governo prima pela criatividade ao criar um modelo de gestão inédito: Nogueira Leite responderá perante PPC, José de Matos a Vítor Gaspar, Faria de Oliveira a Cavaco e Fernandes Thomaz a Paulo Portas. Pedro Rebelo de Sousa será administrador não executivo adicionando experiencia bancária a uma equipa com provas dadas no sector... No meio de tanta incerteza dois factos podem ser dados como adquiridos: o grupo Mello passará a ser o novo SNS e o litigio entre a Compal e a CGD será resolvido extrajudicialmente....



publicado por HGjr às 12:09
link do post | comentar | partilhar