Terça-feira, 5 de Julho de 2011
O invertebrado

Ao renunciar ao cargo de deputado, Fernando Nobre contribuiu para a degradação da democracia portuguesa, minorando, desprezando, o cargo que lhe foi confiado por um grande número de eleitores lisboetas. Não me surpreende, afinal de contas, Nobre mostrou coerência durante todo o processo: muda de quadrante político e desrespeita o compromisso assumido com os eleitores com a mesma facilidade.

 

Nobre, por quem eu tinha enorme admiração, revelou uma vaidade e ego político sem limites. Como não foi eleito presidente da AR, cargo para o qual não tinha qualquer tipo de preparação e que utilizaria em beneficio próprio preparando o terreno para uma futura corrida a Belém, recusou ser simplesmente deputado, alegando um imaginário chamamento humanitário para sair de cena.

 

Fernando Nobre personificou tudo aquilo que tantas vezes repudiou na sua campanha a Belém. Nobre não traiu apenas os eleitores que nele votaram, traiu-se a si próprio sucumbindo à ambição e vaidade manchando uma carreira imaculada de dedicação a causas humanitárias.

 

 



publicado por HGjr às 11:43
link do post | comentar | partilhar